• sexta-feira, 18 de agosto de 2017
  • 09:43 Icone do tempo--ºC / --ºC

Internacional

8/3/2017 às 15h28

Governo brasileiro condena atentado a hospital militar em Cabul

A Missão de Assistência da ONU no Afeganistão (Unama), condenou o A Missão de Assistência da ONU no Afeganistão (Unama), condenou o "ataque covarde" do EI ao hospital militar em Cabul (Foto: ONU News/Unama/Fardin Waezi)

O governo brasileiro – através do Ministério das Relações Exteriores - lamentou profundamente o atentado terrorista ocorrido hoje (8) no Hospital Sardar Mohammed Daud Khan, considerado o maior hospital militar do Afeganistão, localizado na capital Cabul. A ação, perpetrada pela detonação de artefato explosivo, seguida de ataque de atiradores, deixou ao menos 30 mortos e 50 feridos.

Ao mesmo tempo em que “reitera seu firme repúdio a todo ato de terrorismo, qualquer que seja sua motivação, o governo brasileiro manifesta suas condolências às famílias das vítimas e sua solidariedade ao povo e ao governo do Afeganistão”, diz a nota do Itamaraty.

Crime de guerra

O grupo terrorista Estado Islâmico do Iraque e do Levante, assumiu a responsabilidade do ataque, considerado como crime de guerra. O chefe interino da Missão de Assistência da ONU no Afeganistão (Unama), Pernille Kardel, declarou que "este ataque covarde rejeitou os princípios mais básicos da humanidade", sendo uma atrocidade que “viola a lei humanitária internacional e pode ser considerado um crime de guerra, pelo qual os autores devem ser responsabilizados”.

O ataque ocorreu com a explosão de um carro-bomba  na porta do hospital, pela manhã. Após o atentado, um grupo armado entrou no local com granadas e fuzis AK-47, matando pacientes, médicos e funcionários. Até as forças de segurança afegãs conseguirem interromper o ataque, dezenas de pessoas foram mortas ou ficaram feridas.

O combate entre as forças especiais do Afeganistão e os insurgentes durou várias horas, até o último atacante ser morto.

* Com informações da ONU News

Comentários



  • Regras para comentários

    Não serão aceitas as seguintes mensagens:

    Com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;

    Com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;

    Com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;

    De cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;

    Anônimas ou assinadas com e-mail falso;

    O Portal Regional:

    Não se responsabiliza pelos comentários dos internautas;

    Se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas regras ou às normas legais em vigor;

    Não se responsabiliza por qualquer dano supostamente decorrente do uso deste serviço perante usuários ou quaisquer terceiros;

    Se reserva o direito de modificar as regras acima a qualquer momento, a seu exclusivo critério.

Leia também