• domingo, 22 de outubro de 2017
  • 04:36 Icone do tempo--ºC / --ºC

Polícia

9/8/2017 às 02h39

Raio-X, detector de metais e agentes evitam entrada de ilícitos em presídios

Visitantes tentaram burlar a segurança e introduzir materiais proibidos durante as visitas do fim de semana

Na Penitenciária de Irapuru, uma mulher que iria visitar o esposo foi flagrada ao tentar entrar na unidade com quatro fones de ouvidos escondidos na parte íntima (Foto: Assessoria de Imprensa/Croeste) Na Penitenciária de Irapuru, uma mulher que iria visitar o esposo foi flagrada ao tentar entrar na unidade com quatro fones de ouvidos escondidos na parte íntima (Foto: Assessoria de Imprensa/Croeste)

No primeiro fim de semana de agosto, 5 e 6, sete estabelecimentos prisionais subordinados a Coordenadoria de Unidades Prisionais da Região Oeste do Estado(Croeste), surpreenderam visitantes tentando driblar a segurança e inserir objetos ilícitos dentro dos estabelecimentos, sendo barradas durante os procedimentos de revista.

Vale lembrar que as pessoas flagradas tentando entrar com ilícitos nas unidades são excluídas do rol de visitas e levadas à Delegacia de Polícia mais próxima, sem prejuízo de responderem na esfera criminal. Também é instaurado Procedimento Disciplinar para apurar a cumplicidade dos presos que receberiam os materiais e, em alguns casos, Procedimentos de Apuração Preliminar para apurar supostas responsabilidades funcionais.

Sábado 5 - Na Penitenciária de Flórida Paulista, duas mulheres foram impedidas de adentrar a unidade, após passarem por procedimentos de revista pessoal para visitar os companheiros que cumprem pena no local. Ambas traziam objetos proibidos no órgão sexual: uma delas escondia uma porção de substância branca com características de cocaína e oito comprimidos azuis aparentando estimulantes sexuais. A outra trazia uma substância esverdeada semelhante à maconha e duas porções de massa epóxi. Diante dos fatos, a autoridade policial foi acionada e conduziu as visitantes à delegacia para procedimentos pertinentes e lavratura de boletins de ocorrência. As mulheres foram suspensas administrativamente por dois anos do rol de visitas, conforme legislação vigente, sem prejuízo de responderem na esfera criminal. A cumplicidade dos sentenciados será verificada pela instauração de Procedimento Disciplinar.

Já no presídio de Junqueirópolis, por volta das 10h30, uma mulher foi abordada na subportaria da penitenciária por policiais da Delegacia de Investigações sobre Entorpecentes (Dise) de Dracena, enquanto aguardava para visitar o companheiro na unidade. Com ela foi encontrado um invólucro contendo tintas para tatuagem e 40 comprimidos de medicamento de estimulante sexual. O caso foi informado à penitenciária, que suspendeu a visita e removeu preventivamente o sentenciado ao pavilhão disciplinar para apuração dos fatos.

Domingo 6 - Na Penitenciária de Irapuru, no momento em que passava pela revista para visitar o esposo que se encontra cumprindo pena na penitenciária, uma mulher foi surpreendida pelo acionamento do detector de metais do tipo portal por mais de duas vezes consecutivas. Em diálogo com os agentes, a mulher afirmou que trazia um invólucro nas partes íntimas confeccionado com massa epóxi, contendo quatro fones de ouvido para aparelho de telefonia celular. Acompanhada por uma funcionária, em local reservado, ela retirou o material do corpo e, logo após, foram adotados os procedimentos administrativos pertinentes.

Na Unidade Prisional Feminina de Tupi Paulista, durante o procedimento padrão de revista para entrada no presídio, a fim de visitar a filha reeducanda, por volta das 9h, a visitante submeteu seus pertences ao aparelho de Raio-X, o qual identificou uma moeda no interior da sacola. Ao examinar esses pertences manualmente, os agentes localizaram o dinheiro dentro de uma caixa de cotonetes. Com o fato, foram tomadas as providências administrativas e disciplinares.

Outras Imagens:

  •  (Foto: Assessoria de Imprensa/Croeste)

Comentários



  • Regras para comentários

    Não serão aceitas as seguintes mensagens:

    Com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;

    Com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;

    Com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;

    De cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;

    Anônimas ou assinadas com e-mail falso;

    O Portal Regional:

    Não se responsabiliza pelos comentários dos internautas;

    Se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas regras ou às normas legais em vigor;

    Não se responsabiliza por qualquer dano supostamente decorrente do uso deste serviço perante usuários ou quaisquer terceiros;

    Se reserva o direito de modificar as regras acima a qualquer momento, a seu exclusivo critério.

Leia também