• terça-feira, 19 de setembro de 2017
  • 15:38 Icone do tempo--ºC / --ºC

Nacional

22/8/2017 às 10h56

Em áudio, professora detalha agressão de aluno em escola de SC: 'Foi um soco violento'

Polícia apura o caso. Adolescente de 15 anos será intimado a dar sua versão sobre episódio, disse delegado em Indaial.

Professora postou fotos da agressão no Facebook  (Foto: Reprodução/Facebook) Professora postou fotos da agressão no Facebook (Foto: Reprodução/Facebook)

Em entrevista à NSC TV na noite desta segunda-feira (21), a professora Marcia Friggi, que dá aulas de português em uma escola municipal de Indaial, no Vale do Itajaí, deu detalhes da agressão sofrida, por parte de um aluno de 15 anos, dentro da instituição, pela manhã. "Foi um soco violento. Um menino de 15 anos, alto, forte, um homem. Eu sou uma mulher pequena, uma mulher de 1,65 metro", contou (ouça áudio acima).

Marcia registrou boletim de ocorrência na manhã desta segunda-feira contra o aluno. A delegacia vai investigar o caso. O G1 não havia conseguido contato com a família do aluno nem com a escola até a publicação desta notícia.

“Lembro de ter caído contra a parede porque foi violento o soco que ele me deu. Cortou o supercílio, estou com um olho completamente inchado agora, está saindo pus".

 Conforme o delegado, o adolescente não tinha ato infracional antecedente. "Nós próximos dias, quando vier o exame de corpo de delito, vamos ouvir as testemunhas oculares de dentro da sala de aula e na sala da direção. Bem como o adolescente. Ele vai ser intimado para prestar sua versão dos fatos", afirmou José Klock.

A agressão ocorreu por volta das 10h20 desta segunda-feira, de acordo com o B.O. A professora disse à polícia que chamou a atenção do aluno por ele estar com o livro debaixo da mesa e, com o objetivo de fazê-lo focar mais na aula, pediu que ele colocasse a publicação em cima da mesa. Em seguida, o estudante ficou alterado e disse para a professora "se f...".

Diante disso, segundo o B.O., ela pediu que o aluno fosse para a sala da direção. Antes de ir, ele jogou o livro em direção a ela, na frente dos demais estudantes. Ao chegar à direção, o adolescente negou o ocorrido, exaltou-se e chamou a professora de mentirosa. Em seguida, deu socos nela, o que causou uma lesão no olho.

“Nunca tinha passado por uma situação semelhante, mas eu posso lhe dizer uma coisa: nós estamos no fundo do poço. Nós já passamos do fundo do poço. A educação já passou faz tempo do fundo do poço. Retrocedeu. Nós não recebemos valorização dos governos, a sociedade nos esqueceu, nós estamos reféns dos alunos e das famílias. Nós somos agredidas verbalmente muito seguidamente, já fui agredida verbalmente, já ouvi colegas sendo agredidos”

 boletim de ocorrência foi feito perto das 11h, e a professora estava machucada quando foi à delegacia, afirmou o delegado José Klock. "Fizemos o B.O. e demos a guia para ela ir à perícia fazer o exame de corpo de delito. Em seguida, estamos instaurando um auto de apuração de ato infracional contra o adolescente".

Em um post em uma rede social, a professora relatou a agressão: "Ele, um menino forte de 15 anos, começou a me agredir. Foi muito rápido, não tive tempo ou possibilidade de defesa. O último soco me jogou na parede. Estou dilacerada por ter sido agredida fisicamente".

 
 
Professora relatou agressão em rede social (Foto: Reprodução/Facebook)

Professora relatou agressão em rede social (Foto: Reprodução/Facebook)

A professora continou: "Estou dilacerada por saber que não sou a única, talvez não seja a última. Estou dilacera por já ter sofrido agressão verbal, por ver meus colegas sofrerem. Estou dilacera porque me sinto em desamparo, como estão desamparados todos os professores brasileiros. Estamos, há anos, sendo colocados em condição de desamparo pelos governos. A sociedade nos desamparou".

Perguntada pela NSC TV se já tinha recebido ameaças antes, Marcia disse que sim, “veladas". "Cada vez que virava para o quadro, ‘ah, o carro lá na frente, o meu facão, eu tenho o meu facão, eu risco, eu faço, aconteço’. Ameaças assim, sim. Mas nunca dessa maneira, nunca uma barbaridade dessa”.

 

Secretaria de Educação

 

Por nota, a Secretaria Municipal de Indaial se manifestou sobre o caso. Veja abaixo o texto na íntegra:

Nesta segunda-feira, 21 de agosto, uma professora da rede pública municipal de Educação de Indaial foi agredida por um aluno no Ceja (Centro de Educação de Jovens e Adultos), local de trabalho da profissional. Sobre o fato, a Secretaria de Educação de Indaial esclarece:

a) A Secretaria repudia qualquer tipo de agressão física ou moral, independentemente da motivação;

b) Após a ocorrência, a direção do Ceja prestou apoio à professora, levando-a para realizar o Boletim de Ocorrência e na sequência receber atendimento médico no Hospital Beatriz Ramos, onde foi medicada e encaminhada a sua residência;

 

c) A Secretaria de Educação está acompanhando todos os fatos e continuará prestando o apoio necessário para a professora.

 

Gerência de Educação lamenta ocorrido

 

Gerência de Educação (Gered) da região também enviou nota e afirmou que "lamenta o ocorrido e vai continuar acompanhando o caso".

"A Gerência de Educação (Gered) da Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Timbó esclarece que o caso de agressão ocorrido nesta segunda-feira, 21, em Indaial, no qual um aluno agrediu física e verbalmente a professora Marcia Friggi, aconteceu na Educação de Jovens e Adultos (EJA), pertencente à Secretaria Municipal de Educação. A professora agredida é funcionária efetiva do Governo do Estado de Santa Catarina, com 20 horas no período vespertino e leciona na EEB Germano Brandes Júnior. Ela também trabalha como professora na EJA, onde aconteceu a agressão", diz a nota.

Comentários



  • Regras para comentários

    Não serão aceitas as seguintes mensagens:

    Com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;

    Com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;

    Com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;

    De cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;

    Anônimas ou assinadas com e-mail falso;

    O Portal Regional:

    Não se responsabiliza pelos comentários dos internautas;

    Se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas regras ou às normas legais em vigor;

    Não se responsabiliza por qualquer dano supostamente decorrente do uso deste serviço perante usuários ou quaisquer terceiros;

    Se reserva o direito de modificar as regras acima a qualquer momento, a seu exclusivo critério.

Leia também