• segunda-feira, 20 de novembro de 2017
  • 11:44 Icone do tempo--ºC / --ºC

Cotidiano

28/10/2017 às 11h08

Contra roubos, Praça Pôr do Sol terá vigias em SP

Em meio ao aumento de roubos e assaltos na região da Praça Pôr do Sol, no Alto de Pinheiros, na zona oeste da capital paulista, a Prefeitura anunciou na sexta-feira, 27, que instalará em dezembro um posto fixo de vigilância no local. Segundo a administração municipal, o equipamento na praça vai funcionar 24 horas por dia, com revezamento de dois vigilantes terceirizados. 

A praça é bastante utilizada por moradores da região e turistas e fica cheia nos fins de semana. 

"Os homens não estarão armados, mas ficarão à disposição das autoridades para nos acionar em qualquer desvio de conduta ou ação fora de rotina", explicou o prefeito regional de Pinheiros, Paulo Mathias, em vídeo publicado na sexta nas redes sociais. 

O aumento da segurança no local já era demanda dos moradores da área, que relatam alta nos crimes com a intensificação do movimento na praça, que tem 31 mil metros quadrados e fica a cerca de dois quilômetros das estações Vila Madalena e Faria Lima do Metrô.

As reclamações sobre o local ainda se referem a problemas de zeladoria e iluminação, com denúncias de tráfico de drogas.

A instalação do posto teve a colaboração de uma associação de moradores, que vai fornecer o contêiner para o equipamento. Segundo Mathias, a manutenção será feita com recursos públicos provenientes da economia obtida com o corte de veículos da Prefeitura Regional. 

Dados da Secretaria da Segurança Pública de São Paulo mostram que o número de roubos no 14.º Distrito Policial (Pinheiros), que também abrange o Alto de Pinheiros, passou de 1.213 nos sete primeiros meses de 2016 para 1.353 em 2017 - alta de 11,5%. Em relação aos furtos, o crescimento foi de 33,5%. 

Sem parque

No mês passado, o prefeito João Doria (PSDB) publicou decreto revogando uma medida de seu antecessor, Fernando Haddad (PT), que transformava a Praça Pôr do Sol em um parque municipal. Dessa forma, a praça continuará sem administração própria ou conselho gestor.

Com a medida, Doria pretende incluir a área no programa Adote uma Praça, que transfere a responsabilidade pela zeladoria desse tipo de espaço público para empresas privadas. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários



  • Regras para comentários

    Não serão aceitas as seguintes mensagens:

    Com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;

    Com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;

    Com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;

    De cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;

    Anônimas ou assinadas com e-mail falso;

    O Portal Regional:

    Não se responsabiliza pelos comentários dos internautas;

    Se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas regras ou às normas legais em vigor;

    Não se responsabiliza por qualquer dano supostamente decorrente do uso deste serviço perante usuários ou quaisquer terceiros;

    Se reserva o direito de modificar as regras acima a qualquer momento, a seu exclusivo critério.

Leia também