• segunda-feira, 20 de novembro de 2017
  • 11:43 Icone do tempo--ºC / --ºC

Agricultura

9/11/2017 às 11h45

Capacidade de estoque de grãos do país é de 168 milhões de toneladas

Soja representa o maior volume estocado (34,9 milhões de toneladas), diz pesquisa (Foto: Arquivo/Agência Brasil) Soja representa o maior volume estocado (34,9 milhões de toneladas), diz pesquisa (Foto: Arquivo/Agência Brasil)

A capacidade total de estoque de produtos agrícolas do país fechou o primeiro semestre em 168 milhões, mostrando estabilidade em relação ao trimestre imediatamente anterior, mas o volume estocado de janeiro e junho deste ano ficou em 58,7.

Os dados foram divulgados hoje (9), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e indicam que a soja representou o maior volume estocado (34,9 milhões de toneladas), seguida pelos estoques de milho (13 milhões), arroz (4,9 milhões), trigo (2,4 milhões) e o café (898,4 mil).

Já o número de estabelecimentos ativos existentes no primeiro semestre do ano caiu 0,1%. Neste primeiro semestre, o total de estabelecimentos era de 7.821, contra 7.829 existentes no segundo semestre de 2016.

A Região Nordeste foi a única que teve acréscimo no número de estabelecimentos ativos, registrando alta de 6,5% em relação ao último trimestre de 2016, enquanto a Região Norte teve o maior recuo (4,1%), entre um período e outro.

A Pesquisa de Estoque 2017 do IBGE indica, também, a predominância dos silos na rede armazenadora do país, com capacidade para guardar no primeiro semestre do ano 79,2 milhões de toneladas, um crescimento de 2,5% em relação ao segundo semestre do ano passado; seguido dos graneleiros e granelizados que fecharam o semestre com capacidade útil de armazenamento de 63 milhões de toneladas – neste caso anotando queda de 1,9% sobre os últimos seis meses do ano passado.

Produtos têm alta no estoque

Cinco principais produtos apresentam alta no estoque, com destaque para a soja cujo número representou o maior volume (34,9 milhões de toneladas); seguido pelo estoque de milho (13 milhões); arroz (4,9 milhões); trigo (2,4 milhões); e café (898,4 mil toneladas). Juntos, estes produtos representam 95,5% da massa de grãos estocada entre os produtos monitorados pela pesquisa.

O IBGE informou, que em junho, a safra de soja se encontrava praticamente colhida em sua totalidade, com a produção recorde estimada em 115,1 milhões de toneladas, um acréscimo de 19,5% em relação ao ano anterior. Segundo o instituto, “a produção foi favorecida pelas ótimas condições climáticas desde o plantio até a colheita”.

O levantamento indicou ainda que o milho colhido até 30 de junho havia alcançado 97,7 milhões de toneladas, valor 53,5% maior do que o registrado no mesmo período de 2016, enquanto os estoques apresentavam 13 milhões de toneladas.

Para Adriana Mendes, gerente da pesquisa, "as boas condições climáticas favoreceram a obtenção de safras elevadas de grãos não só de milho como também de soja". A alta nos estoques também é explicada, segundo ela, pela lógica de produção do mercado. "De maneira geral, parte das safras é comercializada de modo antecipado para financiar a aquisição de insumos e o processo produtivo".

Com um crescimento de 55,2% em relação ao último trimestre do ano passado, os estoques de trigo totalizaram nos primeiros seis meses deste ano 2,4 milhões de toneladas. O aumento na quantidade de trigo armazenado entre os dois semestres, segundo o IBGE, é decorrência do volume da produção de 6,8 milhões de toneladas relativas à safra anterior, aliada ao aumento de 11,9% nas importações no primeiro semestre deste ano e à redução no ritmo de processamento dos moinhos.

A excelente safra deste ano, batendo todos os recordes de produção de cereais, leguminosas e oleaginosas, como demonstram as previsões do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), do IBGE – também determinou um crescimento de 29,4% nos estoques de arroz em casca, em comparação com a data de referência de 2016. Em junho, a safra de 2017 já se encontrava colhida e as estimativas apontavam para um aumento de 16,2% na produção.

Também os números relativos ao café estocado foram favoráveis e indicam que a quantidade aumentou em 7,3% em comparação com a último semestre do ano passado. Em 30 de junho de 2017, estavam armazenadas 898,4 mil toneladas.

Comentários



  • Regras para comentários

    Não serão aceitas as seguintes mensagens:

    Com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;

    Com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;

    Com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;

    De cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;

    Anônimas ou assinadas com e-mail falso;

    O Portal Regional:

    Não se responsabiliza pelos comentários dos internautas;

    Se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas regras ou às normas legais em vigor;

    Não se responsabiliza por qualquer dano supostamente decorrente do uso deste serviço perante usuários ou quaisquer terceiros;

    Se reserva o direito de modificar as regras acima a qualquer momento, a seu exclusivo critério.

Leia também