• domingo, 22 de julho de 2018
  • 03:37 Icone do tempo--ºC / --ºC

Internacional

6/1/2018 às 13h28

Governo da Venezuela confirma prisão do brasileiro Jonatan Diniz

O governo da Venezuela confirmou hoje (5) que o brasileiro Jonatan Diniz, de 31 anos, está preso no país. O Ministério das Relações Exteriores do Brasil divulgou ontem (4) comunicadoem que cobrava a administração de Nicolás Maduro para que fornecesse informações sobre o paradeiro do rapaz. Segundo o governo vezezuelano, o brasileiro está em bom estado de saúde.

Na nota divulgada ontem, o Itamaraty informou que acionou o Ministério das Relações Exteriores da Venezuela e as autoridades policiais daquele país para descobrir onde Diniz estava detido, bem como sua situação jurídica. O órgão não disse, contudo, se havia recebido notícias do paradeiro do jovem. O Itamaraty também reivindicou uma visita consular, medida prevista em convenções internacionais. Segundo a assessoria da instituição, essa visita pode ocorrer ainda hoje (4).

Acusações

Jonatan Diniz foi detido no dia 28 de dezembro pelas forças de segurança da Venezuela, no estado de Vargas. Segundo a agência oficial de notícias do país, o jovem é acusado de manter atividades desestabilizadoras contra o regime de Nicolás Maduro.

O catarinense e três venezuelanos fariam parte da organização não governamental Time to Change the Earth (Tempo de Mudar a Terra, em tradução livre). Para o governo, a entidade seria uma “organização criminosa com tentáculos internacionais”, que distribuiria alimentos e bens a moradores de rua com o objetivo de obter recursos em moeda nacional com vistas a promover ações contra o governo.

Família

A família de Jonatan vem divulgando apelos nas redes sociais pela liberdade do jovem. Uma página foi criada para disseminar informações e mobilizar pessoas.

Uma petição online na plataforma Avaaz também foi produzida para angariar apoios.

Comentários



  • Regras para comentários

    Não serão aceitas as seguintes mensagens:

    Com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;

    Com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;

    Com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;

    De cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;

    Anônimas ou assinadas com e-mail falso;

    O Portal Regional:

    Não se responsabiliza pelos comentários dos internautas;

    Se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas regras ou às normas legais em vigor;

    Não se responsabiliza por qualquer dano supostamente decorrente do uso deste serviço perante usuários ou quaisquer terceiros;

    Se reserva o direito de modificar as regras acima a qualquer momento, a seu exclusivo critério.

Leia também