• domingo, 21 de janeiro de 2018
  • 20:18 Icone do tempo--ºC / --ºC

Saúde

9/1/2018 às 06h55

Janeiro Roxo reforça o combate e prevenção da hanseníase

Ministério recomenda procurar os serviços de Saúde quando surgirem manchas em qualquer parte do corpo (Foto: Divulgação/MS) Ministério recomenda procurar os serviços de Saúde quando surgirem manchas em qualquer parte do corpo (Foto: Divulgação/MS)

O Janeiro Roxo é o mês instituído pelo Ministério da Saúde (MS) para reforçar o compromisso de controle da hanseníase, promover o tratamento correto, divulgar informações e desfazer preconceitos que prejudicam o diagnóstico preventivo da doença. Em Dracena, no ano de 2017 foram notificados sete casos da doença.

Segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura, o trabalho de prevenção à hanseníase é desenvolvido durante o ano todo, por meio da busca ativa nas unidades de saúde e também pelos agentes comunitários. “Nos últimos anos o número de casos vem se mantendo na mesma média”, informa.

“Os casos suspeitos passam por avaliação médica que solicita exames específicos para confirmar o diagnóstico. Caso sejam confirmados, são encaminhados à Vigilância Epidemiológica (VE) para dar início ao tratamento supervisionado com medicações. Esse tratamento só é disponível pelo Sistema Único de Saúde (SUS)”, acrescenta a assessoria da Prefeitura.

CAMPANHA-Em dezembro, a Secretaria de Saúde realizou a Campanha de Hanseníase em conjunto com a da Prevenção do Câncer de Pele. “As pessoas que apresentaram manchas suspeitas procuraram a unidade de Saúde para avaliação com dermatologista e realizaram exames, nos casos necessários. Não foi confirmado nenhum caso da doença”, esclarece a assessoria de imprensa.

TEMA 2018- O tema da campanha nacional de 2018, escolhido pela Sociedade Brasileira de Hansenologia (SBH) é “Todos contra a Hanseníase”.

Segundo o Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), do Ministério da Saúde, o estado do Mato Grosso, é o que registrou as maiores taxas de detecção de hanseníase do País. Em 2015, a taxa de novos casos da doença foi de 93,00/100.000 habitantes, totalizando 3.037 casos novos

SINTOMAS-A hanseníase é uma doença crônica, transmissível, tem preferência pela pele e nervos periféricos, o que lhe confere alto poder de causar incapacidades e deformidades físicas, principais responsáveis pelo estigma e preconceito que permeia a doença. A transmissão se dá de uma pessoa doente sem tratamento, para outra, após um contato próximo e prolongado.

O Ministério da Saúde (MS) recomenda que as pessoas procurem o serviço de saúde ao aparecimento de manchas em qualquer parte do corpo, principalmente, se essa mancha apresentar alteração de sensibilidade ao calor e ao toque, configurando como um dos sinais e sintomas da doença.

 

Comentários



  • Regras para comentários

    Não serão aceitas as seguintes mensagens:

    Com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;

    Com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;

    Com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;

    De cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;

    Anônimas ou assinadas com e-mail falso;

    O Portal Regional:

    Não se responsabiliza pelos comentários dos internautas;

    Se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas regras ou às normas legais em vigor;

    Não se responsabiliza por qualquer dano supostamente decorrente do uso deste serviço perante usuários ou quaisquer terceiros;

    Se reserva o direito de modificar as regras acima a qualquer momento, a seu exclusivo critério.

Leia também