• terça-feira, 24 de abril de 2018
  • 05:40 Icone do tempo--ºC / --ºC

Saúde

11/4/2018 às 05h45

Unifadra/Fundec e Prefeitura oferecem serviço gratuito a pacientes de Parkinson

A Secretaria Municipal de Saúde informou que em Dracena, 80 moradores recebem a assistência da rede pública. Hoje é o Dia Mundial de Conscientização da doença

“Os portadores da doença não devem nunca abandonar os cuidados e orientações médicas”, afirma neurologista  (Foto: Divulgação) “Os portadores da doença não devem nunca abandonar os cuidados e orientações médicas”, afirma neurologista (Foto: Divulgação)

Cerca de 200 mil brasileiros sofrem da doença de Parkinson. Hoje, 11 de abril, é o Dia Mundial de Conscientização da doença. Em Dracena, 80 moradores têm a assistência da rede municipal de Saúde, obtendo medicamentos de alto custo.

No mundo, 1% da população mundial padece da enfermidade, que é progressiva, neurodegenerativa e afeta várias partes do corpo, mas atinge com mais intensidade as áreas do cérebro que controlam os movimentos voluntários, gerando dificuldades na execução das atividades rotineiras, como caminhar e segurar objetos.

Com o objetivo de melhorar a qualidade de vida de pessoas com doença de Parkinson, a Unifadra/Fundec e a Prefeitura de Dracena organizaram o Projeto Parkinson. O programa é gratuito e atenderá a comunidade com a oferta de exercícios físicos específicos para portadores da doença. O período de inscrições vai até a semana que vem, no dia 20.

O trabalho é coordenado pela professora doutora Ana Cláudia de Souza Fortaleza, docente do curso de Enfermagem da Unifadra. Ana Cláudia é especializada em trabalhar com exercícios específicos para a doença de Parkinson, por uma renomada universidade dos Estados Unidos.

Ela explica que as atividades com os pacientes serão realizadas juntamente com os alunos do curso de Educação Física da Unifadra, as terças e quintas-feiras nas dependências das Fundec, em duas turmas (às 10h e às 11h).

A professora doutora esteve nos Estados Unidos durante nove quando desenvolveu o doutorado e aprendeu novos exercícios para o tratamento de pessoas com a doença. Segundo ela, os exercícios traziam muitos benefícios para o grupo e que qualquer indivíduo mesmo com grau avançado da doença e muita dificuldade de caminhar poderia participar do programa de exercícios. Com isso, ficou motivada em implantar o mesmo projeto na cidade de Dracena.

SERVIÇO: Para participar bastar entrar em contato com o telefone da Fundec e deixar o nome no Centro de Informações (18) 3821-9004 ou comparecer diretamente na Fundec.

 

CURIOSIDADES SOBRE A DOENÇA

Em 1988 a OMS (Organização Mundial da Saúde) instituiu 11 de abril como o Dia Mundial de Conscientização da Doença de Parkinson, nome dado em homenagem ao médico que descreveu o mal, em 1817, James Parkinson.

“O Dia Mundial de Conscientização da Doença de Parkinson tem grande importância para a compreensão da enfermidade”, destaca o neurologista Marcus Vinicius Della Coletta, secretário do Departamento Científico de Transtornos do Movimento da Academia Brasileira de Neurologia (ABN).

Ele explica que os sintomas mais evidentes são os motores, como tremor de repouso, lentidão dos movimentos, desequilíbrio e maior rigidez muscular. Segundo o médico, é vital o início do tratamento assim que surgem os primeiros sintomas, pois o controle da doença preserva a qualidade de vida do paciente.

“O diagnóstico deve ser feito por um neurologista e é basicamente clínico, faz-se analisando os sintomas, as formas de evolução, a história de outras doenças associadas e o histórico familiar”, afirma o médico.

Doentes de Parkinson sofrem uma degeneração na região do cérebro chamada Substância Negra, que causa deficiência na dopamina (neurotransmissor que controla os movimentos finos e coordenados das pessoas).

O neurologista explica ainda que os pacientes precisam entender que a Doença de Parkinson é uma enfermidade crônica e que eles necessitarão de tratamento constante.

“Os portadores da doença não devem nunca abandonar os cuidados e orientações médicas”, destaca. Ele também ressalta a importância de terapias como fonoaudiologia, fisioterapia e terapia ocupacional n o controle da doença.

“O Parkinson não tem cura, mas pode ser controlado”, conclui Marcus.

 

Comentários



  • Regras para comentários

    Não serão aceitas as seguintes mensagens:

    Com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;

    Com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;

    Com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;

    De cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;

    Anônimas ou assinadas com e-mail falso;

    O Portal Regional:

    Não se responsabiliza pelos comentários dos internautas;

    Se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas regras ou às normas legais em vigor;

    Não se responsabiliza por qualquer dano supostamente decorrente do uso deste serviço perante usuários ou quaisquer terceiros;

    Se reserva o direito de modificar as regras acima a qualquer momento, a seu exclusivo critério.

Leia também