• sexta-feira, 17 de agosto de 2018
  • 12:36 Icone do tempo--ºC / --ºC

Economia

7/6/2018 às 12h37

ANTT deve anunciar nesta quinta nova tabela para cobrança de fretes no País

Presidente da Confederação Nacional dos Transportadores autônomos, Diumar Bueno, saiu com a garantia de que o acordo está mantido

Em meio à chiadeira do setor agrícola, a ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) deve anunciar nesta quinta-feira (07) a nova tabela de fretes no país. A Confederação Nacional da Agricultura, já avisou que é contra o tabelamento e o presidente da CNA, João Martins, prometeu recorrer à Justiça se ela não for alterada.

“Tem de rever essa tabela ou então a CNA vai tomar todas as atitudes possíveis. Como estamos dizendo que somos uma agricultura das mais modernas do mundo e vamos voltar ao tabelamento? Isso é retrocesso”, disse.

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, reforçou o discurso de que os parâmetros utilizados pela ANTT estão supervalorizados e que por isso serão necessários ajustes para que a tabela seja realmente de preços mínimos. “A forma como saiu a primeira tabela acabou virando preço máximo até fora dos padrões que outros setores possam pagar para transportar”, afirmou.

O ministro dos transportes, Walter Casimiro, negou constrangimento, por conta dos problemas na tabela e ressalta que o entendimento geral é de que os ajustes são necessários: “o preço vai ser modificado e quando você está colocando custo fixo baseado em poucos extras, você vai diluir esse custo fixo em quantidade de extra menor, então vai onerar mais o frete”.

Após a publicação dos preços mínimos a questão ainda será tema de audiência pública para que a sociedade, também possa opinar.

Depois de reunião no Palácio do Planalto, de acompanhamento do acordo com os caminhoneiros, o presidente da Confederação Nacional dos Transportadores autônomos, Diumar Bueno, saiu com a garantia de que o acordo está mantido e que as mudanças na tabela não prejudicam a categoria. “O preço que foi estabelecido a ANTT tem o conhecimento técnico e real do mercado e, dentro do que foi estabelecido, vai ser mantido”.

Ele descartou também a possibilidade de uma nova paralisação da categoria.

O presidente Michel Temer, mais cedo, reclamou da tentativa de utilização política da greve dos caminhoneiros. “Conseguimos, depois de 10 dias de greve preocupante, com diálogo e usando a autoridade conectada, encontrar solução que não causasse um incidente qualquer”, disse.

Apesar de dizer que não houve incidentes, vale lembrar que um caminhoneiro foi morto quando tentava voltar ao trabalho, houve falta de gasolina e escassez de alguns produtos em boa parte do país. Aulas foram suspensas e o transporte coletivo prejudicado.

Comentários



  • Regras para comentários

    Não serão aceitas as seguintes mensagens:

    Com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;

    Com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;

    Com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;

    De cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;

    Anônimas ou assinadas com e-mail falso;

    O Portal Regional:

    Não se responsabiliza pelos comentários dos internautas;

    Se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas regras ou às normas legais em vigor;

    Não se responsabiliza por qualquer dano supostamente decorrente do uso deste serviço perante usuários ou quaisquer terceiros;

    Se reserva o direito de modificar as regras acima a qualquer momento, a seu exclusivo critério.

Leia também