(Divulgação)

O farmacêutico Danilo Lapenta, proprietário de farmácia na área central de Dracena, entrou em contato com a reportagem do JR e Portal Regional para se queixar do prejuízo que vem tendo devido à interrupção do serviço de telefonia fixa no estabelecimento dele.

Ele disse que desde a terça-feira que passou, dia 8, a farmácia não recebe ligações pelo telefone fixo, apenas por celular. “Com isso tenho uma queda em relação às entregas de medicamentos, entre outros produtos, de cerca de 40%, os demais 60% são referentes aos clientes que solicitam via celular ou whatsApp”, explicou.

Danilo informou que além de perder com as vendas tradicionais feitas a partir do telefonema fixo acaba tendo que investir em outros tipos de mídias, para divulgar que a farmácia está com a linha temporariamente comprometida.

Citou que entrou em contato com a Telefônica (Vivo) e apresentou a reclamação. “Abrimos o protocolo e me informaram que teria que aguardar no mínimo três dias para que o problema fosse resolvido”, afirmando Danilo mostrando indignação com a falta de amparo ágil por parte da empresa.

Também falou que durante o atendimento na Vivo foi informado que os dias que ficou sem o serviço fixo seriam descontados no valor da conta.

O farmacêutico pontuou ainda que alguns clientes que estiveram na farmácia também abordaram que tiveram problemas nas casas deles nesta semana com o telefone fixo.

“Já tivemos outros problemas com a linha fixa, mas a situação geralmente se resolveu em 24 horas”, concluiu.

OUTRO LADO

A reportagem entrou em contato com a Vivo para tratar o assunto e no final da tarde recebeu a seguinte nota. Segue na íntegra: “A Vivo informa que realizou testes tanto no número informado pela reportagem quanto em sua rede e não foram encontradas irregularidades. A empresa orienta a população para que entre em contato por meio do  www.vivo.com.br, além dos canais oficiais no Facebook e Twitter, quando identificar problemas na rede da operadora”.