Rapaz de 25 anos agredido na cabeça e em todo o corpo disse que violência teve motivação homofóbica (Imagens: Acervo Pessoal).

Uma agressão a um rapaz de 25 anos, em Tupã, pode ter motivação homofóbica. Segundo a vítima, as agressões teriam ocorrido por ele ser homossexual. O caso é apurado pela Polícia Civil da cidade, que registrou boletim de ocorrência.

A violência contra o rapaz teria ocorrido na última sexta-feira (15) e a vítima passou por exame de corpo delito nesta segunda-feira (18). Os suspeitos da agressão são foram identificados e ouvidos pela polícia nesta terça-feira (19).

Ao G1, a Polícia Civil informou que o desentendimento entre a vítima e um dos agressores teria se iniciado em um baile, na noite de quinta-feira (14), véspera de feriado. A vítima, que não quis se identificar, foi ouvida pelo portal de notícias e disse que foi um caso de homofobia. “O rapaz estava na festa e falou que eu estava me esfregando nele. Eu sou gay e gosto de dançar, de me divertir. Aí ele pegou e deu três murros nas minhas costas. Quando virei de frente, descontei e ficou por isso mesmo”, disse o jovem ao G1.

De acordo com o boletim de ocorrência, já na sexta-feira, um dia após o baile, a vítima da agressão e o rapaz agressor se encontraram casualmente em uma choperia na Avenida Tamoios, centro da cidade, quando foi iniciada uma discussão.

No local, o autor da agressão ocorrida no baile estava acompanhado de dois amigos – um homem e uma mulher – que também se envolveram nessa nova confusão. Desta vez, a vítima foi novamente agredida, agora com arranhões, chutes e gravatas, sofrendo diversas lesões. “Um dos caras falou que ‘viado’ tinha que morrer, que tinha que apanhar mesmo. Aí me levaram para o meio da rua e começaram a me bater”, disse a vítima ao G1.

Após essa nova agressão e diante dos ferimentos, a vítima foi levada à Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Tupã. Ao deixar o local teve uma crise convulsiva e foi encaminhada para a Santa Casa, para atendimento complementar. A vítima recebeu alta e se recupera em casa.

O boletim de ocorrência foi registrado como lesão corporal. Os suspeitos ouvidos nesta terça-feira pela Polícia Civil disseram que as agressões foram mútuas. Porém, as motivações para as agressões ainda serão apuradas na investigação, o que pode confirmar ou não a motivação homofóbica.

(Siga Mais/Com informações do G1)