A demanda por profissionais da área de TI se torna cada vez maior, à medida que produtos e serviços se tornam cada vez mais digitais

A demanda por profissionais da área de tecnologia da informação (TI) se torna cada vez maior, à medida que produtos e serviços se tornam cada vez mais digitais. O mercado tem se tornado mais exigente nessa área, uma vez que é preciso agregar uma boa formação às funções operacionais e estratégicas com foco em resultados para o crescimento e atualização constante para as empresas.

A Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom) fez um levanamento recente que apontou  uma projeção de que serão necessários 70 mil novos profissionais de TI por ano no Brasil entre 2019 e 2024, em razão da evolução tecnológica. A quantidade de pessoas que se formam nessa área vão na contramão do que o país irá necessitar, pois apenas 46 mil pessoas se formam ao ano no ensino superior com o perfil necessário para atender essas vagas. A Brasscom estima que o mercado de TI pode apresentar déficit de 290 mil profissionais em 2024Isso comprova o quanto esse mercado se manterá em constante crescimento.

O curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas da Unifadra (TADS) contempla em suas disciplinas o perfil que o mercado procura. O coordenador do curso na Unifadra Prof. Me. Alessandro Fornari destacou que, de acordo com o relatório da Brasscom, as áreas mais requisitadas para os próximos anos serão de desenvolvimento mobile, computação na nuvem, data analytics, segurança cibernética e inteligência artificial.
De acordo com esse relatório, um profissional de TI no Brasil recebe por mês, em média, R$ 5.582,00. Segundo levantamento feito pelo Estadão em 2019, o Brasil conta com 13,4 milhões de desempregados e, ao mesmo tempo, faltam profissionais habilitados para suprir cerca de 70 mil vagas anuais da área da tecnologia. Dentro desse segmento, existem no momento 5 mil vagas abertas apenas em startups (empresas nascentes). Com a escassez dessa mão de obra, os salários também passam a ser mais elevados, conforme aponta o gráfico do Estadão.

Além dessas áreas, Fornari ressaltou que os profissionais formados pela Unifadra podem atuar no tratamento de dados administrativos, técnicos e de produção, coordenar ou gerenciar centros de tecnologia da informação e de equipes de desenvolvimento, projetar e programar sistemas de informação. “O leque de atuação para os analistas de sistemas é bem vasto e promissor”, comentou o professor coordenador.

A Unifadra possui parcerias com grandes empresas na área de tecnologia da informação e todos os seus alunos de TADS interessados têm garantia de emprego nessas organizações em razão principalmente do déficit de profissionais nessa área em todo o país.

O mercado local também se mostra em grande aquecimento. Os alunos da Unifadra Gabriel Gimenez Moreira e João Paulo Ataíde vêm se destacando no mercado de trabalho, atuando com sistemas em uma empresa privada de Dracena, como outros também, destacando Diego Brioschi Silva, Ranilson Nunes do Nascimento e Leonardo Galves, entre outros.

VESTIBULAR

A Unifadra está com inscrições abertas para o Vestibular do curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas. A prova será no dia 8 de dezembro, às 10h. Inscrições pelo site: www.fundec.edu.br/unifadra .

Mais informações: (18) 3821-9004.

Com ampliação de número de empresas, surgem vagas para especialistas na economia digital.
(Fonte: Estadão)