Delegado Cleber Batista, titular da DIG de Dracena

Na manhã de ontem durante entrevista concedida a Rádio Liberal FM e ao Jornal Regional, o delegado Cleber Augusto Batista, da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Dracena, falou sobre os resultados da ‘Operação Vila Romana’, que prendeu três homens envolvidos nos seis furtos ocorridos em dois condomínios da cidade no mês passado. Ele disse que todos os envolvidos são de Londrina (PR) e que dois deles têm várias passagens pela Polícia de lá e um deles seria o mentor intelectual da associação criminosa e possui vários antecedentes por furto, inclusive no estado de São Paulo e se tornou especialista na prática de furtos em condomínios. “A especialidade do mentor intelectual é isso e acaba angariando outras pessoas e pratica furtos em residências localizadas em condomínios”, disse o delegado Cleber. Ressaltou ainda que os indivíduos vieram para Dracena aleatoriamente e praticaram os furtos no Condomínio Vila Romana e no Residencial Dracena, que fica ao lado, onde seria mais fácil praticar os delitos. Eles confessaram que pularam o muro lateral dos condomínios por onde entraram e saíram.

Cleber Batista afirmou que dois dos três indivíduos presos confessaram a prática criminosa com riqueza de detalhes contando como fizeram os crimes e um deles que seria o mentor, apesar de informalmente confessar, mas por ocasião da oitiva formal se reservou no direito de permanecer calado.

O delegado explicou que vários objetos foram apreendidos em Londrina e está sendo formalizada a apreensão e na segunda-feira serão colocados para reconhecimento das vítimas. Acredita que boa parte dos objetos sejam furtados e com a devolução daqueles que provavelmente sejam reconhecidos, parte dos prejuízos será ressarcida.

O delegado Cleber Batista informou que a operação foi um trabalho bastante árduo e cansativo e focado em técnicas de inteligência e de investigação policial e que resultou na prisão dos indivíduos. “A gente procura restabelecer a ordem para que a população continue tranquila em Dracena”.

Além do delegado Cleber Batista, trabalharam na operação os delegados Alexandre, Bruno, Mateus, Ramon (Euclides da Cunha), a Polícia Civil do Paraná, Policiais da DIG, DISE, GOE e do CIP de Dracena, GOE de Adamantina e Presidente Venceslau, que foram importantes nesta operação e que resultou nas prisões dos indivíduos.

A Polícia Civil de Dracena vai representar pela prorrogação da prisão temporária dos envolvidos na segunda-feira e espera que até terça-feira seja concluído o inquérito policial e representar pela prisão preventiva contra os três indivíduos. “A Polícia Civil sempre trabalha independente  de quem seja a vítima  e do padrão social, cor ou raça e credo, e todos os casos são investigados e infelizmente alguns deles acabam não deixando rastros e a gente não tem bola de cristal e não consegue identificar”, concluiu o delegado Cleber.

Produtos apreendidos pela Polícia com o trio (M. Maia/JR)