(Cedida/Polícia Civil)

Conscientização. Essa é a palavra que motiva o agente policial civil Reginaldo Rosa dos Santos. Em parceria com a Delegacia Seccional de Dracena ele já atingiu cerca de 800 jovens com palestras sobre o uso de drogas.

De forma voluntária e gratuita, Santos realizou 16 palestras ao longo deste ano. Todas elas com o mesmo foco: mostrar os efeitos nocivos que essas substâncias, licitas ou ilícitas causam ao organismo de quem às ingere.

“Sem dúvida alguma, o objetivo é levar conhecimento para que possa ser evitado a curiosidade do primeiro contato com as drogas, sejam elas lícitas ou ilícitas. As estáticas mostram que 86% dos indivíduos começam na drogadição por curiosidade. Os jovens são normalmente quem está mais vulnerável. Normalmente a faixa etária crítica de jovens de 15 a 25 anos”, disse Santos.

O público alvo, preferencialmente, são jovens que cursam o ensino médio, menores aprendizes, universitários e pais. “As demandas para as palestras são oriundas das escolas (públicas ou privadas), setores da saúde pública e de empresas, lembrando que é totalmente gratuito o trabalho.  Basta ter um pedido prévio para adequação de horários”, explica Santos.

Para ele, o apoio da Delegacia Seccional de Dracena é vital para a realização desse projeto. Para o próximo ano, Santos pretende dar continuidade ao o que está sendo realizado. “Em 2020, com o apoio da Delegacia Seccional de Polícia de Dracena, que tem no seu comando o delegado seccional, Dr. Nilton Santos Paschoal, é dar continuidade ao trabalho que já vem sendo desenvolvido. Algumas palestras são ministradas no horário de expedientes, mas que em sua maioria os eventos são marcados em horários que não obstaculizem os trabalhos de polícia judiciaria”, disse o agente.

O projeto surgiu após palestras presenciadas por ele. Além disso, a experiência de 20 anos de profissão também o auxilia. “Cabe frisar, ainda, que a Delegacia Seccional de Polícia de Dracena sempre desenvolveu vários trabalhos voluntários prevencionista, não só com relação a dependência química, e que estão disponíveis para a população”, finaliza o palestrante.

(Cedida/Polícia Civil)