Nas residências é onde está se encontrando a maior parte das larvas do mosquito da dengue (Cedida/VE)

Nestes primeiros 13 dias de 2020, a Vigilância Epidemiológica (VE) local já registrou 25 casos de dengue, sendo todos autóctones contraídos na cidade. A informação é da chefe de Informação, Educação e Comunicação, Aline Andrade, da VE. Ela alerta a população a ficar atenta aos cuidados preventivos para evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti.

Segundo Aline, durante as visitas as casas, agentes da Vigilância estão encontrando grande quantidade de larvas do mosquito. “Temos equipes trabalhando até aos sábados. É importante que os moradores fiquem atentos, porque 95% das larvas do Aedes aegypti estão sendo encontradas nas residências”, comenta.

É importante que todos façam a sua parte quanto a se livrar da procriação do mosquito, e neste início de ano os cuidados devem estar redobrados devido à quantidade de chuva que vem caindo, o que facilita a vida do Aedes Aegypti. Então nada de deixar água parada.

No ano passado, a VE registrou em Dracena 996 casos de dengue.

Dengue: 2019 foi o segundo maior em mortes  

Matéria publicada pela Folha de S. Paulo na semana que passou trouxe informação que 2019 registrou o segundo maior número de mortes pela doença desde 1998, ano de início da série histórica.

Segundo o Ministério da Saúde, até o dia 7 de dezembro (2919), haviam morrido de dengue 754 pessoas no Brasil.

Segundo a Folha, na prática, o total fica abaixo apenas do registrado em 2015, quando houve uma das piores epidemias da doença, com 986 mortes.

Nas residências é onde está se encontrando a maior parte das larvas do mosquito da dengue (Cedida/VE)