Prefeito Juliano Bertolini Pedro Reis/JR

O prefeito Juliano Brito Bertolini (Podemos) recebeu a equipe do Jornal Regional em seu gabinete da manhã de ontem, 24. Na conversa com reportagem, abordou diversos pontos de sua administração. Inclusive falou sobre a possibilidade de reeleição, abordou aspectos importantes do seu mandato, citou os casos de dengue e os recorrentes alagamentos na cidade.

 

Confira a entrevista:

Planejamento

“Entramos no quarto ano de mandato e nós temos um planejamento de quatro anos. Tive que cortar muitos vícios que existiam para fazer o nosso mandato e nosso orçamento desses anos. As pessoas se esquecem que quando eu entrei, com 30 dias de governo apresentei um déficit de R$ 10 milhões que o caixa da Prefeitura estava. Tive que indenizar 600 contratos temporários, que deviam ter sido encerrados e pagos em dezembro de 2016, mas não foram. Tive que assinar um acordo com a Receita Federal, um parcelamento em janeiro de 2017, porque em 2016 não foi pago o INSS dos meses de novembro e dezembro, além do 13º salário de todos funcionários da Prefeitura.

Então, com o orçamento que eu tinha em 2017, tive que quitar essas dívidas que foram deixadas para mim. Foram R$ 6,5 milhões, que eram para serem usados em 2017 e tive que usar para sanar um problema de 2016. Hoje, independentemente da eleição, sei o que vai acontecer em janeiro de 2021. Indiferente de quem será eleito, a Prefeitura terá dinheiro para continuar seu planejamento.

Isso é responsabilidade administrativa e responsabilidade fiscal. Ficar falando que a gente não está fazendo nada é um discurso de uma politicagem barata, daqueles que outrora, deixaram a Prefeitura como deixaram. Tenho a responsabilidade de deixar para o próximo mandato a continuidade administrativa. Esse direito eu não tive”.

 

Saúde

“Para esse ano, vamos entregar a UBS (Unidade Básica de Saúde), do bairro Campo Belo. Também começaremos a reforma do Posto de Saúde ‘Dr. Takashi Enokibara’ (Postão). Iremos decentralizar a farmácia, por causa dessa reforma. Vamos reformar o posto de saúde do distrito de Jamaica.

Para a rede municipal de saúde, nós contratamos cerca de 15 médicos. Fizemos um convênio com a Faculdade de Medicina da Unifadra. Estamos fazendo esse atendimento junto das UBSs, junto com o posto Takashi Enokibara, onde se tem os atendimentos clínicos. Também contratamos médicos especialistas para atender com horários agendados, tanto na UBS, como no posto de saúde e também na Policlínica. A abertura da Policlínica vem de encontro com a remodelação da rede de saúde.

Hoje o cidadão agenda um horário e a consulta é realizada. Investimos na humanização e na contratação de mais médicos. Isso também teve um impacto no PAM. Único local da cidade até hoje com atendimento pós 18h. Em média no PAM, são feitos 300 atendimentos entre às 18 e às 23h.”

Dengue

“Fizemos um planejamento sobre um ataque de combate à dengue desde dezembro de 2018. Ficamos o primeiro semestre de 2019 com uma sala de hidratação trabalhando o tempo inteiro. Fizemos também uma série de ações, para conscientizar a população para o combate à dengue.

Não tem como o poder público ir na casa da pessoa e saber se ela todos os dias limpa o vaso de flor. Temos uma equipe de agentes limitada, eles trabalham por setores, não têm como estar na casa do cidadão todos os dias.

Em janeiro, passamos dos 100 casos de dengue e, para poder sanar essa situação, precisamos decretar estado de alerta no município. Com esse decreto estou dando autonomia para que os agentes apliquem multas nas pessoas que deixam de fazer seu papel enquanto cidadão. Não estamos pedindo para ir na casa do vizinho ver se ele está fazendo corretamente, só estamos pedindo para cada um cuidar da sua casa.

A população precisa entender que esse combate não é só do poder público, é um combate de todos. Quem vai ficar doente com isso são todos. Dracena, se pegarmos a região de Presidente Prudente, é uma das cidades com menos casos de dengue. Existe uma comoção quando alguém pega esse tipo de doença, leva isso para as redes sociais, como se isso fosse uma culpa do poder público. Temos uma equipe bem preparada, uma médica infectologista que está informando a população. Vocês da imprensa têm nos ajudado muito na divulgação dos trabalhos feitos. A população começa a se conscientizar. As pessoas precisam entender que o poder público trabalha em parceria com a população”.

 

Educação

“Está em andamento à construção da ampliação da creche Cantiga de Ninar, no bairro Emílio Zanatta. Está sendo ampliada a escola Ottília Braz Noguerol, no Jardim dos Palmeiras.

Iniciamos a licitação da creche Pintando o Sete. A creche do bairro Magda Lemos terá ampliação de salas de aula. Por fim, estou aguardando recurso do Estado para concluir a creche do bairro Santa Clara.

Elevamos a avaliação da rede de Educação para o B+. Antes era C, a penúltima nota de avaliação. O próximo passo é chegar na nota A. Para isso estamos fazendo um planejamento para as escolas da rede municipal”.

 

Pontos de alagamentos

“Dracena tem pontos históricos de alagamentos. Essa galeria do Centro da cidade foi construída na década de 60. É uma galeria bem construída. Aqui era uma área de várzea. Toda a água da chuva passa por essa galeria do Centro. A Prefeitura está localizada entre dois morros, Praça Arthur Pagnozzi e a Igreja Matriz. Tudo desemboca nessa galeria. A cidade cresceu tanto que não suporta mais pancadas de chuvas intensas.

Na Rua Ipiranga fizemos um investimento para fazer uma vazão, para desafogar essa galeria. Pode ser que amenize um pouco. Na Av. Expedicionários, quebramos os muros dos dois lados do pontilhão, para que quando encher de água, as janelas (termo usado por ele) escoe a água, evitando a enchente”.

 

Reformas

“Faremos uma pista de caminhada entre os bairros Frei Moacir e Emílio Zanatta. Estamos passando por todo o procedimento para ter a autorização para a reforma do Ginásio de Esportes Dovilho Moura. Minirreforma no campo do Brasilândia, conhecido como ‘Raimundão’.

Já fizemos minirreforma no campo do Barrancão, no Jardim Alvorada. Fizemos uma recuperação de patrimônio no campo de Jaciporã”.

 

Recapeamento

“Temos aproximadamente uns R$ 5 milhões para continuar a recuperação asfáltica da cidade. A meta é chegar, independentemente de ser ano eleitoral, em dezembro com um milhão de metro quadrado de recuperação asfáltica. Isso estou dizendo em investimento, do que foi planejado durante a campanha de 2016”.

 

Teatro Municipal

“Vamos abrir licitação do Teatro Municipal em fevereiro. Tínhamos uma ideia para captar recursos através de um programa do Governo do Estado. Com a mudança de gestão houve um corte nessa captação de recursos. Temos uma reserva vinda do deputado estadual Reinaldo Alguz, de R$ 600 mil e mais R$ 500 mil de recursos próprios já reservados para esse investimento”.

 

Distrito Comercial

“Não havia sido feito nenhum investimento de infraestrutura. Terminamos a primeira etapa da construção do Distrito Comercial. Já fizemos toda rede de água e toda rede de esgoto. Falta a pavimentação, estou esperando verba do Estado de São Paulo. O Distrito Comercial sai até o fim do mandato”.

 

Dracena K

“Estive em reunião ontem com o coordenador regional da CDHU. Estabelecemos e batemos o martelo: a empreiteira entregará no ano de 2020 as 300 casas prontas. Existe o planejamento até junho para concluir a primeira etapa e, em novembro, entregarão a segunda etapa.

Vamos finalizar nosso mandato entregando essas casas. Agora entra a responsabilidade do município, que é fazer o poço de água e o reservatório.

Na segunda quinzena de fevereiro, a CDHU abre para a população as inscrições para os interessados e começará a fazer a seleção dos critérios da população para participar do sorteio. Vamos entregar um conjunto habitacional exemplar”.

 

Recursos/Pacto Federativo

“Continuamos buscando recursos estaduais e federais. O Pacto Federativo é ótimo para os municípios. Vai acabar a burocracia. Quando chega emenda parlamentares, como aconteceu com emendas do Reinaldo Alguz e do Enrico Misasi em 2017.

A burocracia é tamanha, que eu não consegui iniciar a reforma por causa disso. A principal mudança é que o dinheiro vai entrar diretamente na conta da Prefeitura, através da Caixa Econômica Federal. Os municípios terão que prestar contas, apresentar projetos, terão que seguir os regramentos federais, estaduais ou do próprio Tribunal de Contas, só que a burocracia de 3 anos acabou. Isso vai agilizar o trabalho do poder público. No meu mandato, esses recursos vindos desses dois deputados foram mais de R$ 15 milhões. Isso fora de ações políticas. Por exemplo, a creche do Santa Clara é um investimento do Governo do Estado, não uma emenda parlamentar. Marginal José Dancieri, aquele espaço onde caiu a ponte, foi uma ação política. O governo municipal não tem como investir com recursos próprios R$ 700 mil para recuperar aquele espaço.

Hoje Dracena é a cidade da região de Presidente Prudente que mais assinou convênios com o Governo de São Paulo e o Governo Federal”.

 

Governo Bolsonaro

“Com relação ao governo Bolsonaro, ele está fazendo e tendo ações pontuais que os municípios estão pedindo há muito tempo. O que ele vem fazendo foi absurdo em relação à desburocratização e enfrentamentos a vícios que existiam. Salvadas as devidas proporções, enfrentamos isso em 2017 na Prefeitura”.

 

Auto avaliação

“É difícil fazer. Posso dizer que o que propusemos, que era melhorar a rede educação básica, rede de saúde, segurança pública e de geração de emprego, estou cumprindo. Foram os quatro pontos principais na campanha de 2016. Contratei mais médicos, aumentamos os investimentos na saúde. Reorganizamos todos investimentos na área de educação do município, isso é importante”.

 

Reeleição

“Tenho que conversar com o nosso grupo. Tenho que falar com o deputado Reinaldo Alguz, é o líder do nosso grupo. Ele tem uma ação política muito determinada, pontual. Essa decisão vai acontecer durante o transcorrer desse ano. Temos que reorganizar até abril as filiações e organização partidária.

A partir de abril é que acontece essa definição. E isso vou tomar junto com nosso grupo de trabalho. Vontade tenho, mas também tinha vontade em outras eleições. Tudo isso foi discutido em grupo. Ter vontade não significa que será, mesmo estando no cargo de prefeito”.

Creche do bairro Santa Clara aguarda recurso do Estado para conclusão da obra
Arquivo/JR

 


Entrada para o Distrito Comercial, cuja obra o prefeito afirmou entregar até o final do mandato

 


Posto de Saúde Dr. Takashi Enokibara, segundo Bertolini passará por reforma

 

Teatro Municipal fechado há bastante tempo: Prefeito informa que abrirá licitação em fevereiro