Coleta em cães retornou nesta semana (Vanessa Matsumoto/JR)

Após os dois casos recentes de leishmaniose em Dracena, os cuidados para evitar a proliferação do vírus aumentaram na cidade. O laboratório do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) voltou às atividades regulares na última segunda-feira, 10.

Caio Rampin, veterinário do CCZ disse que agora o foco principal está em bairros específicos. “Iremos dar sequência no que estávamos fazendo e programando. Primeiro manter o bloqueio no Jardim Jussara e recolher amostras dos animais. Depois, já temos definido que alguns bairros serão prioritários, pois já sabemos que podem ser endêmicos”, disse.

O laboratório do CCZ funciona para armazenar e ser realizada a triagem do material recolhido. “Recebemos as amostras e realizamos o teste de reagente ou teste rápido. Caso este procedimento constatar que algum cão possa estar contaminado, a amostra é enviada para Presidente Prudente. Lá, é feito um exame mais detalhado para termos a confirmação”, explicou.

“Como o laboratório estava em reforma, ainda não é possível dizer quantos animais foram examinados”, finalizou o veterinário do CCZ.

Segundo caso em Dracena

Conforme divulgado na última semana pelo JR e Portal Regional, outro morador de Dracena está hospitalizado no Hospital Regional de Presidente Prudente, tratando de leishmaniose.

O homem de 43 anos deu entrada no hospital desde o dia 14 de janeiro. Segundo a assessoria de imprensa do HR, o quadro do paciente é considerado estável.

Laboratório do CCZ teve reforma finalizada após cerca de um mês (Vanessa Matsumoto/JR)