Paralização escolar prejudicou as vendas dos produtos para merendas na região (Arquivo/JR)

A Coopadra (Cooperativa dos Produtores Agropecuários de Dracena) já está sentindo os efeitos da crise econômica causada pela pandemia do novo coronavírus. Gislaine Oliveira, presidente da cooperativa conversou com o Jornal Regional sobre o atual momento. “Já afetou bastante, principalmente para os produtores de hortifrútis da cidade”, disse. O principal motivo disso é a paralisação das aulas nas escolas da rede pública de ensino. “A Coopadra vende para merendas escolares em 15 municípios da região. Quem estava produzindo para esse período, perdeu quase tudo”, afirmou.
A situação é complicada para os produtores da cidade, de acordo com ela, é uma relação direta. “Sem aula, sem vendas para escolas. Se não têm venda, não tem produção e consequentemente não tem renda para a família do cooperado. É um momento muito difícil para eles”, ressaltou, afirmando que a incerteza das voltas às aulas causa insegurança. Hoje, a cooperativa se mantém basicamente pelo contrato com as penitenciárias da região. “Ainda vendemos para eles, porém o contrato é quadrimestral e acaba neste mês. Ou seja, está tudo meio nublado”, completou. Sem querer pensar no pior, Oliveira teme o futuro da cooperativa. “Temos funcionários e contas para pagar. Hoje nossa folha salarial gira em torno de
R$ 30 mil. Não sei se teremos fluxo de caixa para os próximos meses. Tento não temer o pior, mas se até agosto não normalizar as coisas, pode ser que não iremos aguentar”, lamentou. Coopadra continua atendendo Apesar do momento de instabilidade, a cooperativa segue atendendo via delivery. A loja localizada no mercadão municipal está funcionando com as restrições devidas. “Estamos atendendo delivery na lojinha Direto da Roça (no Mercado Municipal) com os produtos da Coopadra leite queijos e bebida láctea , polpa de frutas e frutas e verduras” finalizou. Para ter os produtos da Coopadra, é só entrar em contato através do celular (18)996454188.