Viver em um país tropical tem diversas vantagens e uma das principais é a variedade de alimentos que se adaptam ao nosso clima e ao nosso solo. Afinal, isso possibilita termos uma gama de opções para investir em um cardápio farto e nutritivo. No entanto, cada fruta, verdura e legume se desenvolve melhor em determinada época do ano. Por essa razão a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo mostra os alimentos da época.

No mês de agosto existe uma variedade de alimentos da estação, entre eles, frutas.

Os benefícios de se consumir as frutas da época são sentidos tanto no paladar, quanto no bolso. Os alimentos da estação têm como principal trunfo o fato de serem mais frescos e nutritivos em comparação com os outros. Isso acontece porque quando cultivados em seu período natural, esses produtos captam melhor os nutrientes do solo em que são plantados.

A nutricionista Katlly Evillim Sousa, da Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios (Codeagro), da Secretaria, recomenda que “as frutas da época são ideais para consumo, pois o seu desenvolvimento é melhor, por estarem em condições climáticas ideais, oferecendo uma qualidade nutricional maior, no qual os nutrientes estão em quantidades mais adequadas, além de sabor e aroma mais fortes”.

As frutas desta época do ano são

 *Banana nanica: Tem o sabor mais adocicado, tornando-se uma das variedades preferidas da fruta. Possui fibras que auxiliam no bom funcionamento intestinal, além de fósforo que ajuda na saúde dos dentes e ossos e a vitamina C, que atua no sistema imunológico e é antioxidante.

*Banana prata: Fonte de energia a banana prata é um dos tipos que contém maior quantidade de potássio em sua composição, prevenindo câimbras musculares e auxiliando no controle de pressão arterial. Além disso, possui triptofano, aminoácido precursor do hormônio serotonina que está associado com a sensação de bem-estar. De acordo com o Instituto de Economia Agrícola (IEA), o Estado de São Paulo produziu em 2018 um pouco mais de 53 mil hectares de banana, totalizando 1,069 milhão de toneladas da fruta. A regional da Coordenadoria de Desenvolvimento Rural Sustentável (CDRS) de Registro foi a principal produtora da fruta, com mais de 726 mil toneladas.

*Carambola: Fruta rica em sais minerais, vitaminas A, C e do complexo B. Auxilia no sistema imunológico além de ser antioxidante, ajudando na prevenção do envelhecimento. Dados do IEA apontam que no ano passado a carambola foi produzida em quase 323 hectares, chegando a 90 mil pés. A regional da CDRS de Jaboticabal é a principal região produtora da fruta.

*Laranja lima: É menos ácida que os outros tipos. É bastante suculenta, rica em vitamina C, potássio, ferro e vitaminas do complexo B, além de possuir características anti-inflamatórias.

*Laranja pera: A laranja é uma fruta fonte de vitamina C, além de conter fibra, ácido fólico, potássio e antioxidantes, possui diversos benefícios, entre eles ação preventiva contra gripes e resfriados, melhora função do sistema digestivo e auxilia na prevenção de anemia, pois aumenta a absorção do ferro. A melhor forma a ser consumida é in natura. As variedades de laranjas tiveram sua produção em quase 166 milhões de pés. O IEA também informou que o total produzido no Estado foi de 319 milhões de caixas de 40,8kg. A principal região produtora do citrus é a de Barretos, com um total de 33 milhões caixas de 40,8kg.

O Instituto Agronômico (IAC) realiza um trabalho árduo de pesquisa sobre as variedades de laranjas.  Marinês Bastianel, pesquisadora do IAC explica que “a laranja Pera é uma das principais variedades plantadas no Estado de São Paulo, graças a sua aptidão tanto para a indústria de suco, quanto para o consumo in natura. Além de fornecer o material genético básico para o setor citrícola, pesquisadores da SAA vêm desenvolvendo estudos relacionados ao manejo cultural, como adubação e nutrição dos pomares, interação roçadora ecológica e programas de aplicação de herbicidas, visando sempre o aumento da produção, produtividade e qualidade final da fruta.”
De acordo com a pesquisadora, a laranja pera é incompatível de enxertia em trifoliatas e seus híbridos, porta-enxertos cada vez mais utilizados na citricultura comercial, pela sua capacidade em agregar qualidade e boas características físico-químicas ao suco e fruta da variedade copa. “Uma interessante linha de pesquisa desenvolvida atualmente no Centro de Citricultura Sylvio Moreira é a obtenção e seleção de citrandarins, híbridos de tangerina com trifoliatas, que têm se mostrado compatíveis com a variedade copa, que podem resultar na redução do porte de plantas, resultando ao produtor ganhos significativos.”

Hoje as pesquisas de laranja lima no IAC estão focadas na avaliação de variedades precoces e tardias que permitam ampliar o período de oferta da fruta nas prateleiras.

*Mamão papaia: O Brasil é o primeiro produtor mundial de mamão e situa-se entre os principais exportadores. É rico em vitaminas C e A, auxiliando na prevenção de doenças além de possuir ação antioxidante. Em 2018, o Estado produziu por volta de 578 mil pés de mamão, que rendeu um milhão de caixas duplas com 25 kg cada. A regional de Dracena é a principal produtora da fruta com um resultado de 543 mil caixas duplas com 25 kg cada.

*Manga: Grande fonte de carotenoides e carboidrato, fornecendo energia para o organismo. Contém cálcio e fibras, auxiliando no bom funcionamento intestinal. A regional de Jaboticabal é a principal produtora de manga, com quase cinco milhões de caixas K com 22kg cada. Já o Estado de São Paulo possui dois milhões de pés, que produziram um total de oito milhões de caixas K com 22kg da fruta cada.

*Tangerina Poncã: Fruta cítrica é fonte de vitamina C, atuando na prevenção de doenças. Contém cálcio e fósforo, minerais importantes para a saúde dos ossos, além de ser pouco calórica, em 100g possui 38kcal. A tangerina poncã teve um pouco mais de dois milhões de pés produzidos, totalizando 4,9 milhões de caixas com 40,8kg cada uma. A regional de Bragança Paulista é a principal produtora da variedade no Estado, totalizando uma produção de 750 mil caixas com 40,8kg.

O IAC também realiza pesquisas sobre a tangerina poncã, considerada rainha das tangerinas no mercado brasileiro, focando em variedades precoces e tardias que permitam ampliar o período de oferta da fruta nas prateleiras. Os estudos também focam a seleção de variedades resistentes a doenças como a mancha marrom de alternaria. (Por: Adriana Luiza /Assessoria de Comunicação Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor envie seu comentário
Por favor digite seu nome