Enquanto Gustagol se recupera de entorse no joelho esquerdo para voltar ao time titular do Corinthians e Mauro Boselli briga por uma vaga na equipe, o experiente Vagner Love, de 34 anos, se destaca atuando mais pela meia direita do Timão do que como centroavante. A mudança não incomoda.

Pelo contrário. Feliz no Corinthians, falou sobre o suporte que tem dado ao argentino neste começo de caminhada em solo brasileiro e citou o fato de se concentrar junto com Gustagol para trocar impressões e dar conselhos ao camisa 19, autor de oito gols na temporada.

– Nunca gostei de reclamar, o treinador tem que ter o comando do grupo, colocar o jogador que está bem no momento, o jogador que estiver bem tem que jogar. Eu não sou de reclamar, gosto de tirar a dúvida em campo. Se me botar do lado do campo, tenho que fazer o melhor. Se me botar na minha posição de origem, tenho que botar a bola para dentro. É respeitar os companheiros – ponderou durante entrevista coletiva no CT Joaquim Grava, nesta sexta-feira.Sem encarar a concorrência como um problema, Love admitiu que em 2015 os outros concorrentes pela vaga o impediram de ser usado como polivalente na equipe do Parque São Jorge. Agora, porém, se sente preparado para atuar onde Fábio Carille preferir e, como já dito, sem reclamar.

– Acho que devido às minhas condições físicas, ajuda muito. Em 2015 tinha muito jogador de qualidade pelo lado e teve a saída dos centroavantes, Guerrero saindo, Luciano contundido, aí joguei mais na minha posição de origem. Na beirada para acompanhar lateral joguei pouco na carreira, mas já joguei muito como segundo atacante, ele já me colocou assim. Falei que pode botar de lado, pode botar lá para trás. Estamos aí para isso – completou.

Tradução para Boselli, concentração com Gustagol

A tranquilidade de Love para falar sobre o momento no Corinthians é reflexo também da boa relação com os companheiros. Mais especificamente com os dois outros centroavantes do time principal: Boselli e Gustavo. Ao argentino, tem dado até suporte de tradução.

– Relação muito boa, todos temos carinho com ele, eu consigo falar um portunhol com ele, por ter convivido com jogadores de outras nacionalidades. É um cara que trabalha muito, dedicado, a dificuldade deve ser da mudança do futebol do México. Vai nos ajudar. Sempre tentei ajudar da melhor forma possível, ainda mais as pessoas que chegam. Não fala bem português, às vezes pede ajuda, fico feliz de contribuir. Procurei fazer assim minha vida inteira – contou.

Já em relação a Gustavo, torce para que o centroavante se recupere o mais rápido possível e possa voltar a ajudar o quanto antes o Corinthians. Os dois, segundo Love, costumam dividir o quarto na concentração antes das partidas.

– É um jogador que no faz falta, pela fase que vive, vai nos ajudar retornando, nos ajuda e vai ajudar muito. Um cara do bem, gente boa, feliz por dividir a concentração com ele, desejo que se recupere logo para nos ajudar a fazer bons jogos – finalizou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor envie seu comentário
Por favor digite seu nome