Os irmãos Ângela Brito e José Augusto Dias Ferreira, que acreditam que o cadáver encontrado na zona rural de Junqueirópolis, seja do pai deles, Augusto Dias Ferreira, 83 anos, que estava desaparecido há um mês, estiveram nesta quinta-feira, 17, no IML de Dracena. Eles retiraram sangue para exames de DNA, a fim de que possa ser utilizados na identificação do cadáver.

O filho José Augusto veio de Santa Rita do Pardo, MS. Ele viu o cadáver e acredita que possa realmente ser o pai, porém ressaltou que tem que aguardar os procedimentos para que o sepultamento possa ser concretizado. José Augusto informou que o exame de DNA deverá sair dentro de cerca de dois meses.

POLÍCIA CIVIL – O delegado Eliandro Renato dos Santos, de Junqueirópolis falou na tarde desta quinta-feira com o JR. Ele disse também aguardará o laudo do DNA para falar sobre o caso. Segundo ele, pelos indícios preliminares não há sinais de violência no cadáver, mas só o DNA que é feito em São Paulo poderá atestar. O delegado Eliandro informou ainda que não sabe por quanto tempo o IML permite que o cadáver permaneça por lá.

Ao ser encontrado o corpo, a retirada foi efetuada pelos agentes Marcos e Valmir, da Mutuária Dracenense. O cadáver se encontra em uma urna na câmara fria do IML de Dracena. (Com informações do repórter Marcos Maia)

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor envie seu comentário
Por favor digite seu nome