No começo desta terça-feira, 21, Maurillio Ishizu que matou a esposa Daniele Galdino Ishizu Brandão, com golpes de faca, na manhã de segunda-feira, 20, foi ouvido pelo juiz Marcus Frazão Frota, em audiência de custódia no Fórum de Dracena.

O acusado do crime estava acompanhado pelo advogado Gustavo Piveta e citou os motivos que o levaram a cometer o crime.

Na audiência, o juiz decidiu converteu a prisão em flagrante em prisão preventiva. Com essa decisão da Justiça, Maurillio vai permanecer preso no CDP de Pacaembu.

O advogado Gustavo Piveta após a audiência disse que essa decisão era o desdobramento natural do caso e normal da conversão do flagrante em prisão preventiva e que optou em não requerer a liberdade de Maurillio agora tendo em vista toda a repercussão do caso. Segundo o advogado, não seria bom ele ficar em liberdade porque é um caso que choca muito as pessoas e então para a própria segurança do cliente é bom que Maurillio fique recolhido e cumpra uma parte da pena em virtude da condenação certa, porque ele confessou o crime. Segundo Gustavo Piveta, Maurillio comentou com ele a motivação do crime, mas como são questões delicadas prefere preservar a versão dele e a memória da Daniele para evitar o aumento da especulação. (Marcos Maia especial para o Portal e Jornal Regional)

O advogado Gustavo Piveta representa Maurilio no caso (Marcos Maia)

CORPO SEPULTADO – Familiares e amigos de Daniele Galdino Ishizu Brandão puderam se despedir dela no velório municipal. O corpo foi sepultado pela manhã no cemitério municipal de Dracena.

Nesta manhã, momento em que o corpo de Daniele era levado para o cemitério (Vanessa Matsumoto/JR)
(Vanessa Matsumoto/JR)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor envie seu comentário
Por favor digite seu nome