O preso Domingos Ribeiro Pereira, de 27 anos, que cumpria pena na penitenciária de Dracena, fugiu da Santa Casa onde estava internado. A fuga aconteceu às 22h50 de sexta-feira, e foi descoberta por volta das 23h25, por uma testemunha, que trabalha no local.

Ela contou que estava trabalhando no PAM quando às 22h25, foi até a cozinha, e, em seguida, ouviu um barulho estranho e muito forte, depois viu um homem descendo do quarto no primeiro andar por uma “Tereza” [corda artesanal normalmente usada em fugas].

A testemunha ressaltou que como sabia que na Santa Casa tinha um preso internado, começou a gritar e correu para o local que é muito escuro e lá percebeu um homem caído no chão e gemendo.

Acreditando que aquele homem caído seria o preso em fuga chamou outro funcionário do PAM e cercaram o mesmo. Gritaram para o homem que não se levantasse, pois caso contrário se daria mal.

A testemunha disse ontem de manhã, ao Jornal Regional, que gritou ainda pelo agente penitenciário que estava no quarto, mas ele não respondia.

Depois descobriram que aquele homem que tinha caído do quarto na verdade não era o preso em fuga, mas sim o agente penitenciário Paulo Sérgio da Silva. A testemunha diz que o agente penitenciário foi jogado lá de cima do quarto pelo foragido.

Segundo ele, antes de cair no chão de uma altura de 25 metros, o agente penitenciário atingiu um toldo que também desabou e isso evitou coisas piores.

A testemunha afirmou que o agente sofreu fratura na mão direita e traumatismo craniano. “Estava muito escuro e não dava para ver nada, espero que o agente se recupere”, disse a testemunha.

A testemunha reclama da falta de segurança a que todos são submetidos e lembra que já foi pedido que se construa um quarto cela que existe em outros hospitais da região, porém em Dracena até agora nada foi feito.

A esposa de Paulo disse ontem de manhã, que durante a madrugada, ele foi submetido a cirurgia no cérebro que terminou às 5 horas da manhã de ontem, e permaneceu internado na UTI em coma induzido. Ela comentou que a sorte do marido foi o toldo ter reduzido o impacto da queda.

No quarto n.º 208 do primeiro andar, onde o preso que fugiu se encontrava, a polícia localizou três algemas. A “Tereza” usada pelo fugitivo foi feita com lençóis do próprio quarto 208.

Consta que o preso Domingos é tuberculoso e não tem um pulmão e o outro está comprometido.

Segundo a polícia, o agente penitenciário não deu a sua versão sobre os fatos, alegando que não se lembrava de nada por ter batido a cabeça, e após ser medicado permaneceu em observação.

A polícia realizou patrulhamento nas imediações do hospital e por toda a cidade, a fim de recapturar o foragido, porém não obteve êxito.

PROVEDORIA – Ouvido por telefone ontem de manhã, pela reportagem, sobre o fato ocorrido na Santa Casa, o provedor Lúcio Sacco, que estava em Presidente Prudente, disse que a instalação de um quarto cela depende de recursos financeiros. Ele explicou que tem conhecimento de que isso já foi solicitado por meio de documento.

Lúcio Sacco entende que as penitenciárias é quem poderiam reivindicar essa providência, mas como o hospital é uma parte integrante o trabalho tem que ser feito em conjunto. Lúcio Sacco disse ainda que nunca se pensou em dotar os hospitais para receber pacientes de penitenciárias e o certo seria o preso não sair da unidade prisional já que lá tem equipe médica completa para o atendimento. “Agora que isso aconteceu conversaremos com as autoridades”, ressaltou o provedor. Lúcio Sacco afirmou também que para o hospital ter um quarto cela poderia ser feito através de uma adequação no prédio ou a construção de uma acomodação especial.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor envie seu comentário
Por favor digite seu nome