O pai de uma aluna que frequentava uma autoescola em Tupi Paulista entrou em contato na tarde de ontem, 14, com a reportagem do JR e Portal Regional se queixando que o estabelecimento encontrava-se fechado desde a segunda-feira que passou e nas portas estava fixado aviso informando que o local foi fechado por determinação do Detran.

Segundo ele, a filha iniciaria aulas práticas e o exame para obter a CNH estava previsto para ser realizado no próximo mês. Ele informou ainda que já efetuou pagamento no valor de R$ 1.500 e agora está preocupado com a situação. Também afirmou que ligou por várias vezes para o proprietário da autoescola, porém as ligações não são atendidas.

A reportagem do JR entrou em contato com o delegado de polícia Aderson Moisés Vieira, a fim de saber o que teria provocado o fechamento da autoescola. Ele disse que na data de 24 de maio deste ano instaurou inquérito policial que visava apurar delito de inserção de dados falsos no Sistema de Informações do Detran. Segundo o delegado, foi investigada pela Polícia a informação de que existia uma aula prática aberta no sistema, mas que o aluno e o instrutor não estariam ministrando.

O delegado Adérson explicou que o inquérito foi concluído no mês de junho deste ano, relatado e encaminhado ao Fórum.

De acordo com dr. Adérson, o  inquérito foi arquivado na Justiça e atendeu a manifestação do Ministério Público.

PROPRIETÁRIO DO ESTABELECIMENTO

Alexandre Donizete da Silva, proprietário da autoescola também foi ouvido por telefone pela reportagem. Segundo ele, na ocasião dos fatos dava a aula normalmente, mas parou para atender a fiscalização do Detran que estava em Tupi Paulista.

Ele disse que foi acusado de fraude por aula em aberto no sistema, com a denúncia de não ter a ministrado. Alexandre afirmou que na verdade quando estava dando a referida aula recebeu uma ligação do seu diretor de que dois fiscais do Detran estavam na autoescola pedindo documentos. Ele contou que os fiscais do órgão foram avisados de que estava dando a aula e não poderia parar, mas foi fornecer a documentação aos fiscais. Um aluno ficou conversando com um sargento da Cia. da Polícia Militar, localizada ao lado da autoescola. “Fui até os fiscais na autoescola e o aluno ficou conversando com o policial, alguns minutos depois retornei para a aula. O aluno foi questionado pelos fiscais e ficou nervoso por vê-los acabou falando que não estava em aula e os fiscais de forma irredutível resolveram registrar o boletim de ocorrência. Não fizemos nada de errado e sim houve um mal entendido. A autoescola está fechada há dois dias e, por isso, através de um advogado estamos entrando com um mandado de segurança para que nos próximos dias com a liminar possamos resolver isso e voltar a atender sem prejuízo aos clientes e alunos. Não cometemos nenhum erro e sim houve um mal entendido e não me deram nenhum direito de defesa no Detran, estão me penalizando, cercearam o meu direito de trabalho. Jamais abri aula sem estar no sistema. Estava com a aula em aberto e os fiscais pediram para eu parar para atendê-los. Espero resolver isso”, disse o proprietário da autoescola.

POSIÇÃO DO DETRAN.SP

A reportagem entrou em contato com a assessoria de comunicação do Detran.SP e foi enviada a seguinte informação: “A Autoescola Habilitar encontra-se com as atividades suspensas preventivamente por 30 dias, após constatação de irregularidades  em fiscalização realizada pela autarquia.  Os candidatos e condutores, clientes deste CFC podem aguardar o término do prazo suspensivo cautelar para a retomada de processos ou solicitar à unidade do Detran.SP em Tupi Paulista a transferência do processo de habilitação para outra autoescola”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor envie seu comentário
Por favor digite seu nome