Endometriose e Infertilidade:

A Endometriose afeta cerca de 6 milhões de mulheres no Brasil e 200 milhões no mundo todo, de acordo com  a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia,  sendo caracterizada pelo crescimento do endométrio, tecido que reveste a parte interna do útero, em outras partes do corpo.

“Hábitos saudáveis como alimentação balanceada e atividades físicas podem aliviar os sintomas dessa doença que não tem cura. Causar cólicas, dores intensas na região íntima, a endometriose também pode ser responsável por problemas de obstrução urinária e infertilidade”, explica Dra.Carla Iaconelli, especialista em reprodução humana.

Confira a entrevista da médica, conhecida pelas pacientes carinhosamente como Doutora FIV:

1 – O que é  Endometriose?
O útero é revestido por um tecido chamado endométrio e todos os meses, quando não há gestação, esse tecido descama e é eliminado com o sangue da menstruação. Quando uma parte desse endométrio é encontrado fora do útero, é o que chamamos de endometriose. Esse tecido migra através da corrente sanguínea para órgãos como ovários, ligamentos pélvicos, intestinos, bexiga, apêndice e vagina. Em casos mais raros, pode ser encontrado em órgãos distantes, como pulmão, pleura e sistema nervoso central.

2- A Endometriose prejudica a fertilidade?
Em muitos casos de diagnósticos tardios, existe a possibilidade de infertilidade em mulheres que possuem endometriose. Isso acontece quando existe o acometimento das trompas, órgão que conduz o óvulo ao útero, além de alterações hormonais e imunológicas que dificultando a gestação.
Entretanto nem todas as mulheres que possuem endometriose são inférteis, pois esse problema faz com que o número de óvulos seja menor e menos eficiente. A doença não inviabiliza, porém diminui a chance de gestação.

3- Dá para prevenir a Endometriose?
Infelizmente, a prevenção primária da doença ainda não é possível, pois a endometriose na adolescência não é detectada.

4- Hábitos de vida como alimentação balanceada e prática regular de exercícios podem auxiliar? 
Uma boa qualidade de vida, uma alimentação saudável, a diminuição do estresse, o repouso adequado e a atividade física são ótimos aliados para se prevenir dos avanços de qualquer doença crônica, a alimentação é parte do caminho para estar em um peso adequado. Menos gordura corporal colabora com a produção ideal de hormônios femininos e isso pode ajudar no controle da endometriose.

Alguns exemplos de alimentos fontes desses nutrientes são:

Vitaminas do complexo B: alimentos integrais, folhas verdes escuras, carnes, peixes, queijos, feijões, cogumelos, algas marinhas, gema de ovo, sementes de girassol e geleia real.

Magnésio: folhas verdes escuras (agrião, rúcula, espinafre, escarola, chicória, almeirão, brócolis, couve-de-bruxelas, couve-manteiga), alimentos integrais (gérmen de trigo, arroz, aveia, centeio, cevada, milho, quinoa, amaranto) e semente de girassol.

Ômega-3: linhaça, óleo de canola ou de soja, peixes (sardinha, arenque, salmão, atum, truta), folhas verdes escuras (agrião, hortelã, brócolis cru, couve-manteiga crua), soja, milho, aveia, abacate, algas marinhas e semente de chia.

5- Quais passos a seguir após o diagnóstico da doença? 
Busque minimizar ao máximo os sintomas, para evitar mais desconfortos. Embora os sintomas possam diminuir significativamente com o tratamento adequado, a endometriose é um problema crônico e infelizmente não tem cura. Então, não há nada tão eficaz quanto manter a tranquilidade e descansar.

6- Como aliviar os sintomas? 
Melhorar o estilo de vida, incorporar a rotina hábitos saudáveis como a prática de algum exercício físico, melhorar os hábitos alimentares incluindo mais alimentos ricos em Vitaminas do complexo B, Magnésio e Ômega-3 e reduzir o estresse.

7- Como os exercícios físicos podem amenizar os sintomas dessa doença? 
Sim. Atividades físicas têm um papel importante na busca de qualidade de vida das portadoras dessa doença. Caminhada ou Corrida, Pedalar (Bicicleta Ergonômica ou Andar de bicicleta), Pilates, Yoga e Pular corda. A atividade aeróbica estimula a hipófise, glândula situada no cérebro, que passa a secretar uma substância chamada endorfina. Ela, por sua vez, inibe a secreção do hormônio FSH, esse hormônio estimularia a produção de estrogênio nos ovários. Então, menos FSH significa doses menores em circulação do hormônio que serve de combustível para o endométrio se desenvolver. O crescimento do tecido instruso é desacelerado. Muitas vezes, observa-se até mesmo sua regressão e no sangue, a endorfina neutraliza a adrenalina e o cortisol, substâncias liberadas pelo estresse. E, assim, sem a influência negativa dessa dupla, as células de defesa passam a atuar com maior eficiência no combate ao endométrio invasor.

8- Quais alimentos maléficos e benéficos dos sintomas da Endometriose? 
Alimentos e bebidas ricos em glúten, Alimentos fritos, processados ou à base de refinados. Todos eles aumentam a resposta inflamatória do organismo, o que piora os quadros de dores de endometriose. Já os alimentos ricos em Vitaminas do complexo B, Magnésio e Ômega-3 podem ajudar nos sintomas dessa doença.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor envie seu comentário
Por favor digite seu nome