Nos últimos dias foram concluídas as obras de recapeamento total da pista do aeroporto municipal de Adamantina, executadas pelo Grupo Branco Peres. A medida está prevista na lei municipal vigente que autoriza ao Grupo a utilização do hangar no local, para a guarda de aviões, com a contrapartida da conservação e execução de melhorias no aeroporto, inclusive ligadas ao pavimento.

Esta é a terceira grande intervenção do grupo privado no espaço municipal, autorizada por lei, e em forma de contrapartida pela utilização do hangar. A primeira delas foi na década de 80, quando o Grupo pavimentou a pista. Na época, pousos e decolagens eram feitos na grama.

Depois, nos anos 90, aconteceu o primeiro recapeamento, e agora, mais recentemente, a terceira obra, também de recapeamento. A execução foi feita toda em CBUQ (concreto betuminoso usinado à quente), de alta resistência e durabilidade. O investimento assumido pelo grupo empresarial é superior a R$ 900 mil. Após a pavimentação, a pista recebeu toda a sinalização de solo, nas normas da aviação civil.

A pista do aeroporto de Adamantina tem 1.250 metros de extensão por 30 metros de largura, e seu uso é público. Qualquer aeronave pode realizar pousos e decolagens, respeitadas as normas da aviação civil e a capacidade do espaço, que suporta jatos executivos e aeronaves com estrutura de até 15 toneladas.

Além do compromisso com uso e conservação do hangar, e a execução de melhorias e conservação da pista, o grupo empresarial realiza ainda manutenção permanente de toda a área operacional do aeroporto, como os espaços gramados e cercamento.  Nos próximos dias a área cercada da pista deve receber um reforço com tela, para evitar a aproximação de cães.

Pista é utilizada por todos

A lei municipal que permite à iniciativa privada a execução das melhorias fixa esse compromisso com compensação pelo uso do hangar, para guarda de aeronaves do grupo empresarial. Já o acesso à pista, para pousos e decolagens, é permitido a qualquer aeronave dentro das condições e limites do espaço.

Diferente dos demais aeroportos públicos com pista pavimentada na Nova Alta Paulista, como Tupã e Marília – que são estaduais – o aeroporto de Adamantina é municipal. Sem a participação da iniciativa privada, dificilmente existiria o pavimento, que dependeria de verbas públicas do município ou buscadas nos governos estadual ou federal.

A pista local é utilizada para pousos e decolagens diurnos, por proprietários de aeronaves moradores em Adamantina e região, sobretudo em suporte às suas atividades profissionais, bem como permite sua utilização para viagens de autoridades políticas e artistas que desembarcam na cidade, transporte médico e para a escola de aviação civil existente no local.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor envie seu comentário
Por favor digite seu nome